Catê Poli homenageia Burle Marx com seu Jardim Tropical na mostra Morar Mais em São Paulo

Catê Poli homenageia Burle Marx com seu Jardim Tropical na mostra Morar Mais em São Paulo

11/10/2019 | Dicas de Decoração

Com 250 m², o ambiente contempla um harmonioso conjunto de plantas ornamentais e espaços de descanso e contemplação

Jardim Tropical – Catê Poli / Foto: JP IMAGE

Um respiro em meio ao agito do descolado bairro de Pinheiros, em São Paulo, um espaço de refúgio para relaxar, conversar e contemplar o verde e a brasilidade. Esta é a proposta do Jardim Tropical, ambiente assinado pela arquiteta paisagista Catê Poli, à frente do escritório que leva o seu nome, na 1ª edição da Morar Mais por Menos, que abre ao público no dia 3 de outubro.

Nos generosos 250 m² do ambiente, plantas ornamentais e cores vivas resgatam características do seu homenageado: o paisagista brasileiro Roberto Burle Marx. O profissional completaria 110 anos em 2019 e é reconhecido mundialmente por seu trabalho na arte e no paisagismo. “Burle Marx é um mestre e a nossa referência mais importante, além disso foi o grande pioneiro dos jardins tropicais no Brasil”, explica Catê Poli.

Jardim Tropical – Catê Poli / Foto: JP IMAGE

Para compor o projeto, Catê preservou os pândanus escultóricos existentes no terreno e incluiu novas espécies de plantas ornamentais e folhagens coloridas, a exemplo de guaimbês, costelas-de-adão, cycas, íris e bromélias, todas fornecidas pela Spagnhol Plantas.

Em busca de um colorido natural, as espécies cróton e palito de fogo também estão presentes oferecendo um tom alaranjado especial ao jardim. Para completar o espaço, a profissional apostou em um gramado com geo zoysia, variedade nova no mercado de gramíneas com folhas finas e mais resistentes a fungos (Itograss). “Decidi usar plantas tropicais porque se adequam perfeitamente ao clima brasileiro e podem fazer parte do jardim de nossa casa”, explica Catê.

Jardim Tropical – Catê Poli / Foto: JP IMAGE

Jardim Tropical – Catê Poli / Foto: JP IMAGE

Na concepção do receber, o Jardim Tropical apresenta uma área de estar equipada com pufes, sofás, redes e outros mobiliários para o descanso e a contemplação dos visitantes. Parte do mobiliário (Madeirado) é feita a partir de madeira imbuia, certificada de manejo sustentável, além de modelos produzidos com corda náutica e tecido especial para áreas externas (Tidelli). “Apostei em tonalidades alegres e em uma combinação diferente e ousada com amarelo, azul e laranja”, conta Catê, que também destaca os tapetes coloridos (Via Star) que compõem com ousadia toda a área do jardim.

Jardim Tropical – Catê Poli / Foto: JP IMAGE

Jardim Tropical – Catê Poli / Foto: JP IMAGE

Quando o assunto é sustentabilidade se destaca também a instalação de arte concebida com o reúso de biombos de botijões de gás (Consigaz), que resultam num clima lúdico e até mesmo inusitado. “Além disso, optamos por outros recursos sustentáveis e econômicos, como iluminação com led de baixo consumo (Vitali) e vasos de polietileno muito leves (Vasart)”, explica Catê. Para representar a contribuição artística de Burle Marx na concepção do jardim, o projeto conta com um grafite de stencil assinado pelo arquiteto e artista Arnaldo Degasperi.

Jardim Tropical – Catê Poli / Foto: JP IMAGE

Jardim Tropical – Catê Poli / Foto: JP IMAGE

Sobre Catê Poli

Arquiteta e urbanista de formação e paisagista desde seu primeiro estágio em 1990, Catê Poli atuou em diversos escritórios de São Paulo até se lançar em trabalho solo em 1998. No escritório Catê Poli Paisagismo, elabora projetos de paisagismo e arquitetura de exteriores – desde uma pequena varanda de apartamento até grandes fazendas e haras, Catê é atualmente colunista do site da revista Casa e Jardim e do portal Paisagismo em Foco.

(11) 3774-5944 | www.catepoli.com.br

paisagismo@catepoli.com.br

@cate_poli_paisagismo

 

Serviço:

MORAR MAIS POR MENOS

De 03 de outubro a 17 de novembro de 2019

Terça a domingo, das 12h às 21h

Endereço: Av. Pedroso de Moraes, 2188 – Alto de Pinheiros

São Paulo – SP


Voltar